Home > Conselho de Administração e Fiscal

Conselho de Administração e Fiscal

A administração da Óleo e Gás Participações S.A. (OGPar) é feita pelos melhores profissionais do mercado. São pessoas apaixonadas pelo que fazem, com vocação para o crescimento e para a inovação. Apostamos no talento e valorizamos a experiência.

Conselho de Administração

O Conselho de Administração da Óleo e Gás Participações S.A (OGPAR) é um órgão de deliberação colegiada, que, segundo o Estatuto Social da Companhia deverá ser composto de, no mínimo, 5 (cinco) e, no máximo, 13 (treze) membros, todos com mandato unificado de um ano. Atualmente o Conselho de Administração da Companhia é composto por 6 (seis) membros, sendo 3 (três) independentes (50%), superior ao percentual exigido pelo Regulamento do Novo Mercado.

Dentre outras atribuições, cabe ao Conselho de Administração:

  • Estabelecer os objetivos, a política e a orientação geral dos negócios da Companhia;
  • Nomear e destituir os Diretores da Companhia, fixando-lhes atribuições;
  • Fiscalizar a gestão dos Diretores;
  • Manifestar-se previamente sobre o Relatório da Administração, as contas da Diretoria e as demonstrações financeiras do exercício; manifestar-se previamente sobre o Relatório da Administração, as contas da Diretoria e as demonstrações financeiras do exercício;
  • Manifestar-se a respeito de qualquer oferta pública de aquisição de ações que tenha por objeto as ações de emissão da Companhia, por meio de parecer prévio fundamentado, divulgado em até 15 (quinze) dias da publicação do edital da oferta pública de aquisição de ações.
  • Como previsto na Política de Governança Corporativa da Companhia, o Conselho de Administração deve, ainda, zelar pelas transações que envolvam partes relacionadas.

A Óleo e Gás Participações S.A (OGPAR) reconhece o valor das boas práticas de Governança Corporativa e se empenha, constantemente, em aprimorá-las, atuando ativamente na realização de reuniões com investidores, manutenção de discussões junto aos seus stakeholders, incentivo à participação de seus acionistas nas Assembleias Gerais.

De acordo com o Regulamento do Novo Mercado, os membros do Conselho de Administração deverão subscrever, previamente à sua investidura no cargo, Termo de Anuência dos administradores ao Regulamento do Novo Mercado e às regras da Câmara de Arbitragem da BM&FBOVESPA.

Os atuais membros do Conselho de Administração da OGpar são:

Conselheiro de Administração Cargo
Pedro de Moraes Borba Presidente do Conselho

É graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Estado do Rio de Janeiro e Pós Graduado em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas/RJ. Ocupou o cargo de Diretor Jurídico da EBX Holding Ltda. Trabalhou no Grupo EBX durante 13 anos, atuando em diversos assuntos ligados à área de infraestrutura, notadamente na área de logística e mineração. Ocupou também o cargo de conselheiro de administração nas companhias EBX Brasil S.A. e Centennial Asset Participações Açu S.A., ambas do Grupo EBX.

Gunnar Gonzalez Pimentel Membro do Conselho

É graduado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e possui Mestrado em Economia pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC-RJ). É Administrador de Carteiras credenciado pela Comissão de Valores Mobiliários, possuindo mais de 20 anos de experiência no Mercado Financeiro e de Capitais como gestor de investimentos e estruturação de projetos. Antes de fazer parte do Grupo EBX, no início de 2013, como gerente financeiro de planejamento e análise (FP&A) na OSX, foi operador sênior de mercado financeiro e chefe de Derivativos& Equity no Citibank.

Julio Alfredo Klein Junior Membro do Conselho

É graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade Moraes Junior do Instituto Brasileiro de Contabilidade e pós-graduado em Contabilidade Gerencial pela Fundação Getúlio Vargas em 1988. Sua formação na Petrobras inclui o Curso de preparação para Auditores Internos em 1984. Atuou como membro do Comitê de Auditoria da OSX Brasil S.A. desde sua criação em 2010. Atuou na Petrobras onde chefiou a Divisão de Contabilidade de Custos e a Divisão de Normas e Controle Interno. Atuou como Conselheiro Fiscal, indicado pela Gaspetro, na Companhia Potiguar de Gás - POTIGAS (2003 a 2008) e na Companhia de Gás da Bahia - BAHIAGAS (2002 a 2003). Foi Liquidante da Indústria Carboquímica Catarinense - ICC, designado pela GASPETRO (2002 a 2008). Presidiu o Conselho Fiscal da Fundação Petrobras de Seguridade Social - PETROS, indicado pela PETROBRAS (1994-1998). Foi Professor titular da cadeira de Contabilidade Industrial na Faculdade Moraes Junior.

Renato Paulino de Carvalho Filho Membro Independente do Conselho

É graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (1977) e pós graduado em Direito Empresarial pelo IBMEC (1978) e Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas - FGV (1982). É sócio do Jorge Rojas Advogados Associados desde setembro de 2012 e membro do Comitê de Auditoria da Seguradora Líder dos Consórcios do Seguro DPVAT S/A desde março de 2013. De setembro de 2001 a março de 2012, exerceu a função de Procurador Federal, com exercício na PFE-CVM, tendo se aposentado no cargo. Entre 1978 e 2001 ocupou o cargo de advogado da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), admitido por concurso público. Exerceu a função de advogado externo da Sasse Seguradora S/A entre o período de 1991 e 1992.

Jorge Rojas Carro Membro Independente do Conselho

Graduado em Direito pela Universidade de São Paulo - USP (1995) e em ciências náuticas pela Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante do Rio de Janeiro - EFOMM (1987). Possui, ainda, o título de Mestre "strictu sensu" em Direito Internacional pela USP (2002). É sócio, desde 2006, do Jorge Rojas & Advogados Associados, escritório de advocacia com sede em Porto Alegre, especializado em direito societário e regulamentação do mercado de valores mobiliários, com ênfase na assessoria à administradora de carteiras na constituição de fundos e compliance da gestão das carteiras. Atuou, de 2003 a 2006, como Compliance Officer da Globalvest Asset Management do Brasil S.A., administradora de carteiras de valores mobiliários autorizada pela CVM, filiada brasileira da Globalvest Management Company U.S., "investment advisor" registrada na Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos. De 1998 a 2003, ocupou o cargo de Procurador da Comissão de Valores Mobiliários - CVM, admitido mediante concurso público, sendo responsável pela representação judicial e extrajudicial da CVM, participação em comissões de inquérito, e assessoria às diversas superintendências da Autarquia, em especial à Superintendência de Relação com o Mercado e Intermediários e à Superintendência de Relações Internacionais.

Adriano Salviato Salvi Membro Independente do Conselho

Graduado em Direito pela Universidade de Vila Velha - UVV(ES) em 1993. Possui, ainda, MBA Executivo pela COPPEAD/UFRJ (2010) e Formação de Conselheiro de Administração pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) em 2008. É sócio-fundador, desde junho de 2010, da Vix Partners Consultoria e Participações, especializada na estruturação de operações de mercado de capitais e de fusões e aquisições. Foi Sócio da Norte Investimentos, empresa administradora de recursos de terceiros e fundos de investimentos, credenciada pela Comissão de Valores Mobiliários através do Ato Declaratório 9.989, de 8 de agosto de 2008. Atuou como Diretor Executivo Jurídico das empresas Telemig Celular S.A., Amazônia Celular S.A., Telemig Celular Participações S.A. e Tele Norte Celular Participações S.A., entre os anos de 2006 e 2008, participando da venda dessas Companhias para os Grupos Vivo e Telemar. Ocupou o cargo de Advogado Senior do Escritório Bocater, Camargo, Costa e Silva Advogados Associados, entre 2002 e 2005, tendo representado os interesses das Fundações Previ, Petros, Telos, Funcef e Valia, do Bndes, da Lafarge, do Banco Fator, da Arapuã, entre outros. Entre 1997 e 2002, foi Procurador Federal e Subprocurador-Chefe na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Além disso, atuou como representante da CVM no "Standing Committee 4" da "International Organization of Securities Commissions - IOSCO", em especial na elaboração e implementação de um memorando de entendimentos multilateral contendo regras de cooperação internacional destinadas a combater o financiamento ao terrorismo, avagem de dinheiro e outros crimes através dos mercados de capitais.

Conselho Fiscal

A Companhia terá um Conselho Fiscal composto por no mínimo 3 (três) e no máximo 5 (cinco) membros efetivos e igual número de suplentes, o qual funcionará em caráter não permanente.

O Conselho Fiscal, quando instalado, terá as atribuições previstas em lei, sendo indelegáveis as funções de seus membros.